Portal do Governo Brasileiro
  • Login/E-mail
  • Senha
Sábado, 20 de dezembro de 2014 - Fuso horário: GMT -3
Serviços > Imprensa
IMPRENSA
Clipping da Assessoria de Comunicação Social
Porto necessita de mão de obra
05/11/2010
A Tribuna - Opinião - A2
Não é de hoje que a comunidade portuária vem apontando deficiências no Porto de Santos. Deficiências que vão desde problemas operacionais a dificuldades de acesso. A situação chegou a tal ponto que operadoras portuárias de cais público decidiram expor suas dificuldades em anúncio publicado neste jornal no último sábado. As principais queixas são quanto a falta de mão de obra e a longa espera dos navios para atracar, o que provoca o acúmulo de cargueiros na Barra de Santos. A falta de pessoal, por exemplo, faz com que a demora no embarque de açúcar, que antes era de 10 a 15 dias, chegue a 30 ou 40 dias. Como as vagas de atracação demoram a ser liberadas, os navios têm de esperar mais de um mês para iniciar as operações. Tudo isso gera um custo adicional, que pode chegar a US$ 400 mil por embarcação. Por isso, não é surpresa o fato de alguns exportadores terem decidido enviar suas cargas por outros terminais, principalmente os de Antonina e Paranaguá, no Paraná. A maior agilidade encontrada nesses complexos compensa largamente os custos mais elevados do frete. Os embarques de açúcar por Santos já caíram um terço neste ano. Para 2011, calcula-se que perto de 1 milhão de toneladas do produto ensacado serão desviadas do terminal local. Uma perda considerável, que pode se tornar irreversível se os problemas apontados pelos operadores não forem sanados. O Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo) anunciou que pretende acelerar o treinamento e a entrada de profissionais para atuar especificamente na operação de açúcar. Mas o processo tem se mostrado insuficiente para atender a demanda. No começo do semestre, por exemplo, o órgão selecionou 250 profissionais, mas, até agora, apenas 40 iniciaram o serviço. Para o presidente da Estiva, Rodnei da Silva, o problema está no excesso de burocracia: "O sindicato apresentou 7 mil pessoas. O Ogmo quis fazer concurso, cheio de regras. A burocracia está causando tudo isso". Ainda que possa haver algum exagero na declaração do líder sindical, o fato é que realmente está ocorrendo alguma lentidão no processo de seleção e treinamento de pessoal. Pois a demanda por mão de obra cresceu muito nos últimos meses, e a oferta de profissionais não tem conseguido acompanhar. Descobrir o que está emperrando o funcionamento desse sistema é, portanto, a primeira providência a ser tomada. Se for necessário, que se mude até a forma como o cadastro é formado. Se o sindicato pode oferecer 7 mil trabalhadores, por que foram selecionados apenas 250 para iniciar o treinamento? Todos os demais não estariam aptos? A questão é que o Porto de Santos, como ressaltado inicialmente, tem uma série de problemas que há anos aguardam solução. E não se pode admitir que a falta de mão de obra venha a se somar a essas deficiências, para desespero dos operadores.
Banco de Imagens
Porto KIDS
Companhia Docas do Estado de São Paulo - CODESP - Avenida Rodrigues Alves, s/nº - Macuco - Santos,
São Paulo, Brasil - CEP 11015-900
Fone: (13) 3202-6565 - Fax [clique aqui]