Panorama do porto

Página Inicial > Outros Links > Panorama do porto


Nos últimos dois anos, a Companhia Docas do Estado de São Paulo foi capaz de gerar resultados consistentes. O déficit registrado em 2015, de R$ 94,922 milhões, foi reduzido para R$ 22,465 milhões em 2016. Em 2017, os resultados negativos foram revertidos para um superávit de R$ 44,432 milhões.

Além da qualidade das suas equipes, esse avanço pode ser explicado por decisões estratégicas que se mostraram acertadas, tais como investimentos em novas tecnologias e processos, bem como o aprimoramento da logística que envolve o Porto de Santos, visando melhor atender seus clientes e ampliar o volume de cargas movimentadas.

Fruto desse esforço e das iniciativas implementadas pelos terminais portuários, o Porto de Santos conseguiu movimentar em 2017 um volume recorde de mercadorias, atingindo 129,865 milhões de toneladas, 14,1% acima do verificado em 2016 e 8,3% acima do recorde anual histórico anterior (119,932 milhões t), registrado em 2015, demonstrando que as estratégias adotadas foram adequadas, mesmo em circunstâncias macroeconômicas bastante voláteis.

As exportações, responsáveis por 72,0% do movimento físico geral, apresentaram crescimento de 14,9%, impulsionadas, principalmente, pelas altas nos embarques de milho, complexo soja (grão e farelo) e açúcar.  Somente estas commodities representaram 60,6% do total exportado por Santos e 43,6% do movimento geral de cargas operadas em 2017.

A Codesp continuou a investir e promover mudanças na empresa, para torná-la cada vez mais ágil e capaz de atender os clientes do Porto de Santos com qualidade. Nesse sentido, desenvolveu novos mecanismos de comunicação, como o nosso Data Center e incorporou tecnologias avançadas nos procedimentos operacionais tais como a Cadeia Logística Portuária Inteligente (Portolog) e o Sistema de Gerenciamento de informações do Tráfego de Embarcações (VTMIS). A implementação dessas ferramentas apresentou considerável avanço e soma-se ao desenvolvimento de novos sistemas e aprimoramento de outros já existentes, visando disponibilizar alternativas que agilizem e automatizem os procedimentos da empresa e do Porto de Santos.

A empresa investiu na continuidade de empreendimentos como a dragagem, que permitiu manter as profundidades de projeto do canal de acesso ao Porto, garantindo aos usuários operarem sem restrições, e as condições satisfatórias dos berços de atracação. Destacam-se, também, os investimentos na readequação do trecho Canal 4 – Ponta da Praia, da Avenida Perimetral em Santos; na recuperação e reforço do cais entre os armazéns 12A e 23; na ampliação da oferta de energia e na remodelação do sistema ferroviário em diversos trechos do Porto.

Com relação às ações de governança, foram iniciadas mudanças importantes na estrutura administrativa, que prepararão a Companhia para um novo momento, propiciando mais uniformidade e rapidez nas decisões e sinergia entre as equipes. Nesse sentido, destacam-se iniciativas como a elaboração do Planejamento Estratégico Institucional (PEI), os avanços no desenvolvimento do Projeto de Modernização da Gestão Portuária (PMGP), a implantação do Escritório de Gerenciamento de Projetos (PMO) e a automação de processos. Espera-se apresentar, neste ano, a revisão do Plano Mestre e a atualização do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto de Santos, bem como a regularização fundiária dos imóveis da União na área do Porto Organizado e a revisão da poligonal do complexo portuário santista.

Marcando uma nova fase na empresa, está sendo estruturada a administração de forma a garantir que todas as questões sejam amplamente discutidas e as decisões sejam tomadas de forma conjunta, estreitando, cada vez mais, o relacionamento com os colaboradores e com a comunidade. Nesse sentido estão sendo promovidas campanhas direcionadas à saúde, segurança no trânsito, educação ambiental e arte, buscando valorizar a relação profissional no âmbito corporativo e trazer para este ambiente valores associados a uma melhor qualidade de vida, a partir de uma proposta mais humanizada no relacionamento entre a empresa e seu quadro de colaboradores.

No que concerne às ações de sustentabilidade, destaca-se a concessão, pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Licença de Operação do Porto de Santos, visando conciliar o uso econômico do Porto Organizado com a preservação do meio ambiente.

Quanto à segurança, foi aprovado o novo regulamento do Plano de Ajuda Mútua (PAM) e criado um banco de dados de informações de cargas perigosas que facilita o acesso a informações por ocasião de sinistros, bem como mapeadas as áreas dos terminais, apontando rotas de acesso e fuga, facilitando, assim, a ação do Corpo de Bombeiros.

Para este ano, a Codesp tem como um de seus grandes desafios dar continuidade aos projetos implementados em 2017, notadamente para consolidação da sua reestruturação organizacional, dos seus processos operacionais, obras de infraestrutura e ações visando aprimorar cada vez mais as relações entre o Porto e as cidades da Baixada Santista. Essa trajetória, entretanto, é somente parte do caminho e não a linha de chegada. A Codesp será sempre desafiada a se reinventar, ser mais eficiente e inovadora, pois só assim estará próxima do mercado. A combinação de tudo isso levará a empresa à frente no processo de transformação e reforçará sua crença de que o Porto de Santos é uma referência em serviços portuários no Brasil e que produz resultados que enchem a todos de orgulho.

Abril/2018