Planos, Programas e Estudos

Página Inicial > Planos, Programas e Estudos

Planos, Programas e Estudos

As conclusões dos estudos iniciais para implantação do chamado calado dinâmico pela Autoridade Portuária do Porto de Santos já foram entregues à Codesp. Estima-se, à luz desses estudos, a possibilidade de um ganho médio de até 30 centímetros sobre o atual calado máximo de 13,50 metros na baixa-mar e de 14,50 metros na preamar, recém-promulgado para o canal santista, além de uma redução no tempo de espera dos navios na área de fundeio fruto de um aumento médio de cerca de 3 horas na janela de operação do Porto.

Trata-se de mais uma inciativa do Porto de Santos que trará ganhos econômicos significativos para todos. O projeto consiste numa forma técnica e científica de se ampliar o calado máximo garantindo maior segurança, mais agilidade no uso do canal de navegação e ganhos significativos para todos.

Os estudos foram realizados pela empresa australiana OMC International.  O trabalho trata, de forma preliminar, da implantação do sistema de calado Dynamic Under Keel Clearance (DUKC) que irá assegurar que todas as embarcações, mesmo sob condições meteorológicas e oceanográficas muito severas e adversas, irão sempre manter uma distância segura entre a quilha e o fundo do canal.

Com a utilização do DUKC, a folga sob a quilha é calculada considerando-se uma série de variáveis, tais como tipo de navio, velocidade, condições meteorológicas (marés, ventos, correntes e ondas), salinidade, afundamento pela velocidade e o próprio trajeto da embarcação no canal que provoca seu adernamento, como por exemplo, durante as guinadas da embarcação. Todas essas informações mais os dados de batimetria e características do canal são processados em tempo real, gerando um modelo que permite apresentar qual o calado máximo praticado em cada situação, considerando de fato o deslocamento vertical do navio em movimento, o que promove o aumento da eficiência sem comprometer a segurança da navegação.

A OMC garante que o DUKC é a ferramenta mais adequada para se mitigar os riscos de se operar com um calado maior. A empresa já implantou 26 sistemas DUKC desde 1993, com mais de 160 mil travessias de navios sem o registro de um único incidente ou encalhe.

Atualmente, portos relevantes no comércio marítimo mundial como Lisboa, Montreal, Port Hedland, Fremantle, Newcastle e Melbourne, dentre outros, já utilizam a ferramenta.

O uso dessa tecnologia, além de ampliar a segurança da navegação, traz benefícios econômicos, pois permite otimizar a capacidade de carregamento nos navios,  reduz a sobrestada das embarcações no porto, promove uma dragagem inteligente, reduzindo seu volume, e  maximiza a operação no canal a partir do incremento das janelas de entradas e saídas.

Para viabilizar a implantação do sistema, a Codesp está adquirindo sensores meteorológicos e oceanográficos com recursos próprios dentro do orçamento para instalação do Vessel Traffic Management and Information System (VTMIS).  Além desses sensores, será necessária, numa fase inicial de validação de dados, a instalação de equipamentos a bordo de navios durante as manobras de entrada e saída do canal de navegação.

Para o uso definitivo do sistema será ainda necessária a realização de um período de testes, que envolverá a validação e aprovação pela Marinha do Brasil.